Tuatha de Danann: Festa Folk No Rio De Janeiro

Como é bom afirmar que o Brasil não faz bonito apenas por ser uma das melhores e calorosas plateias do mundo, mas por possuir também excelentes e competentes representantes na cena metálica, e tal afirmação fora fácil, fácil, endossada pelo público que lotou a casa carioca Rock Experience no último sábado, (7), para prestigiar as pratas da casa Quintessente e Dreadnox e o maior expoente brasileiro do folk metal, o Tuatha de Danann.

A noite começou com os trabalhos da banda Quintessente, que retornou às atividades depois de catorze anos de hiato, e mostrou que canções de forte acento no metal extremo estão dentro de sua jurisdição, sendo muito bem recebida pelo público por conta de sua desenvoltura e talento.

O Deadnox já é nome tarimbado na cena brasileira, e foi com o competente heavy metal dos cariocas que a noite já tomava traços de inesquecível, embora alguns problemas no som pipocassem vez ou outra e gerasse certo descontentamento nos músicos, mas nada que depreciasse e ou trouxesse desprazer ao público.

Tuatha de Danann Lapa(3)

Com as emoções à flor da pele e o calor lá nas alturas, os cariocas receberam e deram as boas vindas aos mineiros do Tuatha de Danann, que, com os inúmeros predicados que lhes são atribuídos, trouxeram o suprassumo de sua carreira e o ápice da noite com a celebração do metal nacional de primeira qualidade.

Foi com “We’re Back” e a participação da plateia cantando cada verso e refrão da canção que os mineiros começaram a festança folk metal e a exaltação da carreira de um dos maiores expoentes do metal brasileiro. “Rhymes Against Humanity” mostrou o porquê do mais recente álbum, “Dawn of a new Sun”, ter figurado entre os principais lançamentos do ano passado.

Tuatha de Danann Lapa(2)

Tocar no tema de unanimidade e consonância pode ser um campo minado, ainda mais quando o item apreciado é arte, ou seja, é um assunto que pode legitimar um vasto matiz de interpretações e avaliações, mas no caso da banda “Tuatha de Danann” talvez seja um dos raros casos onde a concordância quanto às virtudes e atributos de sua arte são percebidas e apreciadas de forma análoga entre seus fãs, sem margens a poréns ou indagações.

Destacar o domínio técnico dos músicos – Bruno Maia (vocal, guitarra e flauta); Rodrigo Berne (guitarra e vocal); Rodrigo Abreu (bateria); Giovani Gomes (baixo e vocal); Edgard Britto (teclado) e Alex Navar (Uilllean Pipe) – é algo trivial, uma vez que é evidente e já fora mais do que constatado tal questão. O diferencial fica por conta da simpatia que todos os músicos transmitem ao público, criando uma atmosfera positiva e íntima à festa folk.

“Believe is True”, “Bella Natura” e “Land of Youth” rememoram o porquê do álbum “Trova di Danú” ter projetado e alçado o nome dos mineiros além-fronteiras, visto a qualidade das canções que compõe o disco, cabendo, hoje, a alcunha de clássico. “The Dance of the Little Ones” e a requisitada “Finganforn” foram os dois momentos de maior euforia, deixando os mineiros em visível prazer por estarem tocando a um público caloroso.

Tuatha de Danann Lapa(1)

Com pouco mais de uma hora de show, o Tuatha de Danann trouxe temas de toda carreira, mostrando o porquê de terem um lugar de vanguarda no cenário metálico brasileiro e, como sempre, pontuando a apresentação como uma grande festa folk e fazendo parecer, aos desavisados, que aquela farra instaurada no Rock Experience é algo simples e corriqueiro.

E vale duas menções honrosas: A primeira fica por conta da Be Magic Produções que fora a responsável pelo ótimo evento. Já a segunda menção fica para o público carioca que lotou a casa de show, provando, mais uma vez, que um evento bem produzido com bandas de qualidade é a receita certa para ser bem sucedido.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *