Axel Rudi Pell: Games Of Sins

Longevidade e qualidade nem sempre são características coexistentes na carreira de um artista, visto que muitos se perdem no conceito do próprio trabalho, no entanto, há àqueles que conseguem basear uma carreira de décadas sem grandes avarias e escoriações, e é nesse seleto grupo que está o guitarrista alemão, Axel Rudi Pell, onde atributos como técnica, criatividade e bom gosto andam lado a lado em uma carreira que beira os trinta e cinco anos de atividades.

E para celebrar tal longevidade e qualidade Axel mostra, mais uma vez, sua expertise em seu mais recente álbum de estúdio, Game of Sins, que leva brasão de ser o décimo sexto disco de estúdio do guitarrista. O trabalho não é o magnum opus do alemão, no entanto, garante, em pouco mais de uma hora de música, a satisfação e o sorriso largo no rosto dos fãs.

Embora remeta ao teor de um álbum conceitual voltado à aposta, visto que a capa estampa uma caveira segurando cartas e a introdução do álbum leva a alcunha de Lenta Fortuna (azar em latim), GOS é simplesmente uma ode ao ótimo hard n’ heavy praticado por Pell, e um bom exemplo é a vibrante Fire, que, perdoe o infame trocadilho, toma a iniciativa de atear fogo logo de cara e esquentar o clima em Games of Sins.

Com o interesse do ouvinte já abrasado, o disco mostra o quão bacana é seu track list, tendo na pegajosa Sons In The Night, que possui sua letra inspirada na série de TV Sons Of Anarchy, um bem vindo quê da NWOBHM. A faixa-título revela-se como a canção mais longa e cadenciada do álbum; já Falling Star e The King Of Fools rememoram a década de 80 onde os grandiosos refrãos eram tão infalíveis quanto os cabelos à la poodle. Lost in Love e Till The World Says Goodbye evidenciam os momentos mais intimistas do álbum e belo cover da música All Along The Watchtower, do Bob Dylan, imortalizado também por Jimi Hendrix, fecha com chave de ouro Games of Sins.

Além das ótimas composições, Games of Sins ganha destaque pela boa atuação de Rudi Peel com grandes riffs e solos, bem com dos músicos que o acompanham, tendo no vocalista Johnny Gioeli (como lembra o registro vocal do saudoso Steve Lee, da banda suíça Gotthard) uma ênfase maior por dosar precisamente, diga-se, sua interpretação em cada canção. O experiente baterista Bobby Rondinelli, que integra a banda de Axe desde 2013, colabora, e muito, para o bom saldo do disco com sua técnica e bom gosto nas conduções e viradas – completa a banda o tecladista Ferdy Doernberg e o baixista Volker Krawczak.

Games of Sins, que tem lançamento nacional via Shinigami Records, vem reclamar sua presença cativa na coleção dos metalheads ávidos pela edificante discografia do talentoso guitarrista alemão. Aperte o play e divirta-se com o cativante e agradável hard n’ heavy de GOS e, lógico, deleite-se com a ótima atuação de Axel e banda.

Track list de Games of Sins:

1. Lenta Fortuna (Intro)
2. Fire
3. Sons in the Night
4. Game of Sins
5. Falling Star
6. Lost in Love
7. The King of Fools
8. Till the World Says Goodbye
9. Breaking the Rules
10. Forever Free
11. All Along the Watchtower (faixa bônus)

Nota: 7

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *